01 / setembro de 2014

Navegação do Artigo

Mais conteúdo

Sobredentaduras e a eficiência mastigatória: revisão da literatura

Jovani Busetti 

Especialista em Prótese Dentária, Universidade Cruzeiro do Sul.

João Paulo De Carli

Doutor em Estomatologia, PUCPR.

Dimas João Rodrigues Neto

Mestre em Prótese Dentária, UNISUL.

Jefferson Ricardo Pereira

Doutor em Reabilitação Oral, UNISUL. Professor, curso de Especialização em Prótese Dentária, Universidade Cruzeiro do Sul.

Resumo / A sobredentadura é definida como sendo uma prótese removível parcial ou total que cobre, ou se apoia, em um ou mais dentes naturais ou remanescentes, raízes e/ou implantes dentários. O presente trabalho tem por objetivo comparar a eficiência mastigatória e aceitabilidade pelo paciente das sobredentaduras em relação às próteses totais convencionais. Assim, a partir de uma revisão de literatura, buscou-se mostrar aos cirurgiões-dentistas a importância de tal tratamento protético, principalmente em relação à estética e função proporcionadas aos pacientes. / Palavras-chave / Sobredentadura. Prótese total.

 

 

Introdução

Usuários de próteses totais apresentam uma grande limitação, representada pela perda óssea decorrente do contínuo processo de reabsorção, comprometendo a retenção e estabilidade desses aparelhos. Nesse sentido, a substituição de tecidos bucais perdidos por meio de próteses totais consiste num problema tanto para o cirurgião-dentista quanto para o paciente.

Para minimizar esses problemas potenciais, podem ser utilizados elementos de retenção adicionais sobre raízes remanescentes ou sobre implantes para melhorar o desempenho das próteses totais. São várias as denominações encontradas na literatura para esse tipo de tratamento, sendo as mais comuns as sobredentaduras, ou overdentures1.

A sobredentadura é definida como sendo uma prótese removível parcial ou total, que cobre ou se apoia em um ou mais dentes naturais ou remanescentes, raízes e/ou implantes dentários2, tem como objetivos melhorar a função mastigatória e o conforto do paciente, além de melhorar a estética e a fonética. Esses tipos de próteses dentorretidas, ou implantorretidas, podem ser rígidos ou semirrígidos2.

O presente artigo apresenta, como objetivo, por meio de uma revisão de literatura, comparar a eficiência mastigatória entre sobredentaduras e próteses totais.

 

 

 

REVISÃO DE LITERATURA

A partir de um planejamento correto e específico para cada caso de edentulismo, pode-se conseguir resultados satisfatórios, tanto do ponto de vista estético quanto funcional. As sobredentaduras permitem ampla liberdade durante a montagem dos dentes e possibilitam a correção de problemas no posicionamento dos implantes ou dentes de suporte, solucionando discrepâncias oclusais e estéticas3.

Há algumas limitações clínicas onde nem sempre é possível a indicação de próteses totais fixas sobre implantes. Sendo assim, a reabilitação com sobredentaduras é indicada por questões estéticas, fonéticas, mastigatórias e econômicas4.

Para que seja confeccionada uma sobredentadura utilizando-se raízes ou dentes como pilares, é preciso que esses possuam boas implantações periodontais e posições favoráveis. Como essas condições nem sempre são encontradas, o advento dos implantes osseointegráveis veio possibilitar a execução de sobredentaduras em um número maior de casos1.

Durante muito tempo, as raízes dentárias foram utilizadas para promover maior retenção e estabilidade a próteses removíveis. Com o desenvolvimento dos implantes osseointegráveis e a previsibilidade dessa modalidade de tratamento15,16, o emprego das raízes com artifícios de retenção passou a ser cada vez menos realizado. Porém, a adição de retentores a raízes naturais que seriam extraídas ainda pode ser uma opção terapêutica, principalmente para pacientes onde a instalação de implante esteja contraindicada. A reabilitação bucal, empregando raízes dentárias, aumenta a retenção e a estabilidade de próteses removíveis, além de ser um tratamento com boa relação custo-benefício5.

As overdentures dentorretidas constituem uma opção de tratamento reabilitador, apresentando as vantagens da prótese total convencional, somando-se à maior retenção oferecida pelos encaixes cimentados nas raízes dos dentes remanescentes. O tratamento com overdentures utilizando sistemas de encaixes resilientes é uma alternativa para as reabilitações de pacientes parcialmente edêntulos, cujos dentes remanescentes não apresentam condições para a confecção de prótese parcial fixa ou removível, proporcionando maior conforto por meio de uma reconstrução mais estável6.

O sistema de retenção ideal para sobredentaduras deve proporcionar boa retentividade, fornecendo estabilidade à prótese, de tal maneira que não ocorra grande perda de sua capacidade retentiva ao longo do tempo; deve ser de fácil manutenção e baixo custo, caso haja necessidade de substituição, além de apresentar pouca altura para que possa ser utilizado em espaços intermaxilares reduzidos, favorecendo a estética. Deve, ainda, ter capacidade biomecânica para auxiliar na distribuição das cargas funcionais aos implantes e osso adjacente, nos casos de implantorretidas7.

Overdentures implantorretidas na mandíbula têm sido relatadas na literatura com taxas de sucesso similar às próteses totais fixadas por implantes (exclusivamente implantossuportadas); todavia, controvérsias ainda persistem relacionadas ao tipo de sistema e indicações18.

A overdenture implantorretida atua de forma semelhante à prótese total convencional, cujo suporte é predominantemente mucoso, mas a retenção e estabilização do aparelho são amplamente melhoradas por meio da fixação aos implantes, apresentando-se como uma prótese mucossuportada e implantorretida8. Uma overdenture mandibular implantorretida a uma infraestrutura fundida permite considerável retenção e estabilidade, assim como restabelece a função mastigatória, segurança e satisfação do paciente8,9.

A insatisfação do tratamento com próteses totais mandibulares nos pacientes edêntulos é uma queixa constante nos relatos de caso na literatura11,12. A mastigação, a fala, a qualidade de vida e até a nutrição melhoram notavelmente quando implantes são colocados na região anterior da mandíbula para suportar e estabilizar uma sobredentadura. A partir da confecção de uma sobredentadura implantorretida com encaixes tipo bola, proporciona-se ao paciente uma função mastigatória eficiente e confortável quando comparada à prótese total convencional, além do paciente sentir-se satisfeito em razão da retenção e estabilidade proporcionadas pelo sistema de encaixe utilizado, o que possibilita seu retorno ao convívio social com segurança8,10.

Mediante a utilização de implantes, pode-se colocar os dentes em uma posição que favoreça a estética e a fonética. O uso da fixação por encaixe do tipo bola tem sido demonstrado como um método sensato e econômico em virtude de vantagens como custo, facilidade de confecção e manutenção. Esse tipo de tratamento proporciona retenção e estabilidade ao aparelho protético, permitindo um aumento na eficiência mastigatória, segurança e melhora no fator psicológico e na autoestima do paciente. Além das vantagens biomecânicas, devido à liberdade de movimentação da prótese, em decorrência da resiliência do encaixe, é uma opção de reabilitação com prognóstico tão satisfatório quanto o dos consagrados protocolos Brånemark para próteses totais fixas8,11,14,15.

O mercado oferece uma variedade de sistemas de retenção de diferentes marcas comerciais, cada qual com suas características, vantagens e desvantagens, que determinam sua indicação diante dos diferentes casos clínicos8,12.

Entre os sistemas de encaixes utilizados para suportar as sobredentaduras, têm-se os sistemas barra-clipe, bolas, magnetos e coroas telescópicas8,13.

A escolha do tipo de sistema vai depender (I) do número de implantes ou dentes; (II) da localização dos implantes ou dentes; (III) da conveniência e/ou viabilidade protética; e (IV) do custo1.

Os magnetos fornecem a menor força de retenção, quando comparados a outros sistemas de encaixes, e perdem sua capacidade de retenção em período menor de tempo relacionado aos outros sistemas; no entanto, apresentam um manuseio mais fácil e uma menor transmissão de estresse para os pilares intermediários14.

Os encaixes tipo bola e barra apresentam maior grau de retenção, sendo mais recomendados em atrofias avançadas da crista alveolar e em casos que exigem maior retenção e estabilização13.

É lícito considerar que o protesista deve conhecer e avaliar as características de cada sistema de retenção para que possa selecionar e aplicar o mais adequado para cada situação, tornando o prognóstico do tratamento reabilitador mais favorável e aumentando a longevidade do aparelho protético7.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

De acordo com a literatura revisada, o tratamento com sobredentaduras, ou overdentures, dentossuportadas ou implantossuportadas são uma alternativa para as reabilitações de pacientes parcialmente edêntulos ou edêntulos totais, proporcionando maior conforto por meio de uma reconstrução mais estável, somando-se à maior retenção proporcionada.

 

 

Abstract

Overdentures and masticatory efficiency: literature review / The overdenture is defined as a removable denture partial or total, covering rests of one or more teeth or remaining roots and / or dental implants. This study aims to compare the masticatory efficiency and patient acceptability of overdentures compared to conventional dentures. Thus, from a literature review, we sought to show to dentists the importance of such prosthodontic treatment, especially in relation to aesthetics and function provided to patients. / Keywords / Overdenture. Denture.

 

 

 

Como citar este artigo: Busetti J, De Carli JP, Rodrigues Neto DJ, Pereira JR. Overdentures and masticatory efficiency: literature review. Dental Press Implantol. 2013 Oct-Dec;7(4):34-7.

Enviado em: 07/09/2013 – Revisado e aceito: 11/09/2013

Endereço de correspondência: Jefferson Ricardo Pereira

Rua Recife, 200 – Apto 601 – Tubarão/SC – CEP: 88701-420 – E-mail:jeffripe@rocketmail.com

 

Os autores declaram não ter interesses associativos, comerciais, de propriedade ou financeiros que representem conflito de interesse nos produtos e companhias descritos nesse artigo.

Referências Bibliográficas:

1. Telles DM. Prótese total: convencional e sobre implantes. São Paulo: Ed. Santos; 2010. 492 p.

2. Glossary of Prosthodonty Terms, Edition 8. J Prosthet Dent. 2005;94(1):10-92.

3. Bacelar A. Overdentures. In: Atlas de prótese: sistemas de encaixe. São Paulo: Artes Médicas; 2003.

4. Frossard W, Ferreira HMB, Balassiano DF, Groisman M. Grau de satisfação do paciente à terapia de sobredentadura inferior implanto-retida. Rev Bras Odontol. 2002;59(1):50-3.

5. Alves MR, Silva FA, Silva LLB, Silva WAB. Sobredentaduras sobre raízes: uma alternativa aos implantes osseointegráveis. RFO UFP. 2010;15(3):309-13.

6. Botega DM, Mesquita MF, Henriques GEP. Uso do sistema ERA para confecção de overdenture. RGO: Rev Gaúch Odontol. 2005;53(3):210-2.

7. Tabata LF, Assunção WG, Rocha EP, Zuim PRJ, Filho HG. Critérios para seleção dos sistemas de retenção para overdentures implanto-retidas. RFO UPF. 2007;12(1):75-80.

8. Pereira JR. Prótese sobre implante. São Paulo: Ed. Artes Médicas; 2012.

9. Fragoso WS, Tróia MG, Bozzo RO, Vedovello SAS, Vedovello MF. Overdenture Implanto-retida. RGO: Rev Gaúch Odontol. 2005;53(4):325-8.

10. Souza SA, Germano AR, Anselmo SM, Bezerra LAM, Santos ANA. Sobredentadura retida por implantes e encaixes tipo bola-relato de caso. RFO UPF. 2007;12(3):69-73.

11. Nadin PS, Linden MSL, Panisson VP, Nadin MA. Fixação de overdenture através de sistema O’Ring para implantes osseointegrados. RFO UPF. 2000;5(2):55-9.

12. Setz JM, Wright PS, Ferman AM. Effects of attachment type on the mobility of implant-stabilized overdentures an in vitro study. Int J Prosthodont. 2000;13(6):494-9.

13. Heckmann SM, Schrott A, Graef F, Wichmann MG, Weber HP. Mandibular two-implant telescopic overdentures: 10 year clinical and radiographical results. Clin Oral Implants Res. 2004;15(5):560-9.

14. Naert I, Alsaadi G, Quirynen M. Prosthetic aspects and patient satisfaction with two-implant-retained mandibular overdentures: a 10-year randomized clinical study. Int J Prosthodont. 2004;17(4):401-10.

15. Adell A, Lekholm U, Rocker B, Brånemark P-I. A fifteen-year study of osseointegrated implants in the treatment of the edentulous jaw. Int J Oral Maxillofac Surg. 1981;10:387-416.

16. Levine RA, Clem DS, Wilson TG Jr, Higginbottom F, Sol- nit G. Multicenter retrospective analysis of the ITI Implant System used for single-tooth replacements: results of loading for 2 or more years. Int J Oral Maxillofac Implants. 1999;14(4):516-20.

17. BRÄNEMARK, PI. et al. Osseointegrated implants in treatment of the edentulous jaw. Experience from a 10-year period. Scand J Plast Reconst Surg. 1977;16(1):1-13.

18. Sadowsky SJ. Mandibular implant-retained overdentures: a literature review. J Prosthet Dent. 2001;86(5):468-73.

Comente:

Destaques na seção: Implantologia